Destaques da cultura do vinho

Em locais onde os romanos já esmagavam uvas, mosteiros famosos, caves profundas e armazéns antigos são testemunhas das muitas histórias da grande tradição de vinhos da Alemanha. Preciosidades como o vinhedo mais antigo do mundo, o de Götz von Berlichingen, o maior tonel de vinho do mundo e muitos outros destaques da cultura do vinho esperam por você!
Adega estatal Hofkeller Würzburg: labirinto no porão

Essa adega tem dimensões dignas de recorde: a adega estende-se por uma área de 4557 metros quadrados sob  Bischöflichen Residenz in Würzburg . Com sua sala de espelhos e suas escadarias com afrescos de Tiepolo, o prédio poderoso na superfície é o mais extraordinário de todos os castelos barrocos e foi nomeado patrimônio mundial  pela Unesco em 1981.

Adega na Vinícola Vereinigte Hospitien

A herança da era romana - aqui, ela pode ser sentida de perto: a origem da adega mais antiga da Alemanha, na vinícola Vereinigte Hospitien, em Trier , remontam ao ano de 330. Naquela época, havia dois grandes armazéns chamados de "Horrea" nesse local, nas margens do Mosela. Seus muros de até oito metros de altura, com buracos de tiros nos tijolos, estão conservados até hoje.

A oficina do vinho: autoconfiança e pioneirismo

A Lubentiushof, situada em Niederfell an der Mosel, se originou de uma adega criada em 1711 pelos príncipes da dinastia von der Leyen. Em 1994, Andreas Barth, um advogado, assumiu o comando e iniciou a sua nova carreira com inúmeras ideias novas. As videiras da sua plantação crescem nos terrenos íngremes do Baixo Mosela e, por causa da inclinação, o cultivo tem de ser manual.

As casinhas nos vinhhedos de Saale-Unstrut

Elas são a marca registrada da região vinícola de Weinbauregion Saale-Unstrut : as casinhas nas encostas de vinhedos. Em poucas regiões na Alemanha há uma concentração tão grande de casas, barracos e, às vezes, até verdadeiras mansões. A região cuida das diversas centenas de casinhas de vinhedos em toda a sua área, entre elas verdadeiras joias de sua época.

Bopparder Hamm: a grande curva do Reno

No centro da grande curva do Reno fica também a maior região vinícola coesa do Médio Reno: Bopparder Hamm. O nome tem origem provavelmente do latim "hamus", o que significa gancho e faz referência à forma em S da famosa curva do Reno. São produzidos anualmente aqui cerca de 600.000 litros de vinho - quase exclusivamente Riesling.

Calmont: onde o vinho nasce das rochas

Nem mesmo no Mosel as encostas são tão íngremes: com uma inclinação de até 60 graus nas encostas, Calmont é a área de cultivo de vinho mais inclinada da Europa. Essa encosta com cerca de 290 metros de altura entre as cidades de Bremm e Ediger-Eller, no Mosela, surgiu há 400 milhões de anos, durante a era devoniana, e é formada sedimentos rochosos de ardósia, quartzito grauvaca.

Castell: o príncipe prepara o caminho para o Silvaner

Um marco na história da localidade de Castell, na Francônia, foi o 6 de abril de 1659: foi então que o oficial da propriedade do condado de Castell, Georg Körner, mandou plantar novas videiras aos pés da montanha do castelo em Castell - masn não qualquer tipo de videira: um mensageiro tinha trazido no dia anterior "25 estacas austríacas" do vilarejo de Obereisenheim para Castell.

Castelo de Heidelberg: os quatro grandes barris

Eles são uma famosa atração do público, ainda que hoje exista apenas o último exemplar deixado para ser visto: os grandes barris no Heidelberger Schloss . Entre outras visitas ocorridas entre 1591 e 1751, o teólogo e perseguidor de bruxas Anton Praetorius também apreciou um dos quatro barris depois da visita a Heidelberg. O mais antigo é o chamado Barril Johann-Casimir, com um volume de 127.000 litros.

Centro de logística do vinho Bacharach: a casa do deus Bacchus

Essa cidade já tem Bacchus no nome: dizem que Bacharach vem do celta "Baccaracum" - o que significaria então quinta de Baccarus - ou do latim "Bacchi ara" -e isso significa "Altar de Bacchus". A história do vinho marcou também a paisagem da cidade: inúmeras casas antigas de enxaimel, em torno da praça histórica Marktplatz demonstram isso.

Centro de Visitantes Kupferberg, em Mainz: o prazer do espumante

Saborear um espumante refrescante tem uma longa tradição em Mainz . A antiga adega de espumantes Kupferberg, sobre o bairro de Kästrich, em Mainz, é dona de 60 adegas em sete andares subterrâneos. Com isso, elas são também a adega de espumantes mais funda do mundo. Durante trabalhos realizados nos porões de Kupferberg, foram encontrados objetos de 2.000 anos.

Cidade vinícola de Deidesheim: cultura alemã de vinhos de qualidade

Aqui foi produzido o primeiro vinho com predicado de qualidade da região vinícola Pfalz e foi que saíram contribuições decisivas para formar a política de vinicultura alemã e mundial - não há praticamente outra cidade que tenha tanto direito de se intitular "Protetores da cultura vinícola" como Deidesheim, no Palatinado, com sua tradição dda produção de vinho de cerca de 2.000 anos.

Espremedeira romana de Piesport: onde se pisava no vinho

Aqui os romanos pisavam no vinho do Mosela – literalmenteh: em Piesport, no Mosel , foi encontrada a maior espremedeira romana ao norte dos Alpes. Isso aconteceu em 1985, durante obras no terreno. Diretamente aos pés da famosaencosta de "Piesporter Goldtröpfchen" foi encontrada uma instalação de 44 por 20 metros do século IV depois de Cristo.

Descubra no mapa a Alemanha como destino turístico

Adicione aqui os seus favoritos. Você pode salvar, selecionar, separar e imprimir a sua seleção e planejar toda a sua viagem na Alemanha.

0 favoritos selecionados