Cosmopolitan and tolerant – Germany as a destination for gays and lesbians
  • Christopher Street Day
    Christopher Street Day ©Andreas Moeltgen

De mente aberta e tolerante – a Alemanha como destino para gays e lésbicas

A homossexualidade não constitui um problema e é parte da nossa vivência diária em todas as cidades alemãs. Especialmente as metrópoles Berlim, Colônia, Frankfurt, Hamburgo e Munique têm uma cena GLS muito animada.

A legislação alemã sobre homossexualismo é uma das mais avançadas da Europa: no país, casais do mesmo sexo têm direito de adoção – e qualquer discriminação contra casais de gays ou lésbicas é proibida por lei. Por isso, na Alemanha formou-se uma comunidade GLS extremamente ativa e que influencia a vida cultura com intensidade cada vez maior. Quase em toda grande cidade, o dia de Christopher Street Day é comemorado efusivamente, os cineastas se entusiasmam em Munique, Frankfurt, Berlim e Colônia com o Queer Film Weekend "Verzaubert", que leva ao grande público o cinema de temática homossexual. Mas esses estão longe de ser os únicos destaques do calendário de eventos GLS.

Cerca de 300.000 homossexuais vivem em Berlim. Portanto, a capital alemão é a terceira metrópole gay da Europa. E a agitação da cena GLS é proporcional: 150 bares gays, cursos de dança e clubes esportivos para casais do mesmo sexo, lojas de moda especial e até mesmo uma lanchonete onde a maioria dos empregados é gay.

Segundo uma pesquisa, em Colônia a cada dez habitantes, um se sente (ocasionalmente) atraído pelo mesmo sexo. Homens se beijando ou mulheres de mãos dadas são parte da paisagem urbana Catedral de Colônia. Um ponto alto do calendário de eventos é, além do Christopher Street Day, o festival WomenPride. Os dois eventos são parte do evento anual Cologne Pride.

Em Frankfurt, a capital financeira, a cena GLS é menor, mas muito multicultural. A maioria dos bares "cor de rosa" estão em Bermuda Dreieck, ao norte da Konstablerwache. Os interessados podem encontrar na Frankfurt Gay Web todos os eventos e locais mencionados.

"Viver e deixar viver" é a máxima da cidade portuária de Hamburgo, o "portal para o mundo". Os homossexuais se reúnem especialmente em St. Georg. Após vários anos de má reputação como foco de criminalidade, desde os anos 90 vêm se instalando no bairro um número cada vez maior de cafés e bares.

Em Munique a cena GLS é particularmente ativa. O calendário de programas começa ali com o baile gay da segunda-feira de Carnaval no Oberangertheater, indo até o Gay Sunday na Oktoberfest. No Natal, encontram-se todos – gays, lésbicas e transexuais, além de solteiros, casais e famílias – para o carnaval cor-de-rosa em Glockenbachviertel.

Descubra no mapa a Alemanha como destino turístico

Adicione aqui os seus favoritos. Você pode salvar, selecionar, separar e imprimir a sua seleção e planejar toda a sua viagem na Alemanha.

0 favoritos selecionados