Westgrossefehn
Westgrossefehn ©Deutsche Fehnroute e. V., Leer
Rotas de férias de A a Z
A Rota Alemã do Pântano

Rota Alemã do Pântano – Uma rota com vistas inesquecíveis para todos

A Rota Alemã do Pântano, “Fehnroute”, na fronteira entre a Alemanha e a Holanda, tem mais do que apenas um nome sonoro; seu circuito de 170 km, com Papenburg como ponto de partida e chegada, é perfeito para viagens de carro pelas planícies verdes, para passeios de bicicleta sem muito esforço, ou para “navegar” pelos canais à moda romântica dos marinheiros.

A Rota Alemã do Pântano corre entre Papenburg, no sul, Aurich, ao norte, com a região de Ammerland no leste e o rio Ems como limite natural no oeste. Canais pantanosos navegáveis (Wieken) com eclusas e pontes levadiças, campos verdes e cercas de arbustos e árvores, um grande número de moinhos de vento, as típicas aldeias chamadas de “Moorhufendörfer”, com suas casas de tijolos vermelhos ao longo da estrada, e a cultura da zona de pantanal acompanham você durante toda a viagem.

Uma rota com muitas facetas

O nome da rota, Fehnroute, é decorrente da palavra holandesa “fehn” (pântano). Ainda hoje, muitos lugares ao longo do trajeto tem a palavra “fehn” incluída no nome. Sua origem remonta a um método de cultivo usado no século XVI / XVII. Foram abertos canais para escoar a água das regiões pantanosas. A paisagem idílica pode ser bem descrita com um ditado local, segundo o qual você “já encontra de manhã quem virá para o chá à tarde”.

O que há de melhor na Frísia Oriental

A vista magnífica até o horizonte dá ao visitante uma sensação de amplitude, liberdade e grandiosidade. “Moin, Moin” – você vai ouvir essa forma típica de cumprimento durante toda a sua estadia na região. Diques, campos, zonas pantanosas de natureza protegida e riachos caracterizam a paisagem idílica. Os campos são cortados por estradinhas que acompanham os diques, dando a sensação de perfeita harmonia com a natureza – ovelhas brancas pastando em paz, pássaros voando em círculos e as nuvens deslizando lentamente no céu – um cenário estonteante.

Cultura histórica

O caminho é ladeado de inúmeros exemplos da cultura frísia oriental: moinhos de vento impressionantes, eclusas em funcionamento, pontes levadiças típicas, pintadas de branco, igrejas antiquíssimas de tijolos e as belas casas típicas da região, as “Gulfhäuser”. A história interessante dos colonizadores da região pantanosa e dos navegadores é contada em pequenos museus que mostram as tradições e costumes da Frísia Oriental. A navegação e a construção naval sempre foram e continuam a ser importantes para essa região. Isso fica claro nas atrativas cidadezinhas portuárias Leer e Papenburg, que oferecem um contraste dinâmico à tranquilidade idílica.

A Rota Alemã do Pântano

Extensão: cerca de 170 km

Tema: cultura de pântanos, natureza

Destaques:
Apen: Museu do presunto “Ammerländer Schinkenmuseum”, igreja
Elisabethenfehn: museu do pântano “Moor- und Fehnmuseum”, canal de pântano navegável
Jümme: castelo Stickhausen
Leer: cidade hanseática/portuária, barreira Leda-Sperrwerk, conjunto de moinhos Mitling-Mark
Moormerland: zona pantanosa Boekzeteler Meer, zona de natureza protegida Veenhusen,
cemitério do mosteiro
Papenburg: estaleiro Meyerwerft, maior colônia em região pantanosa na Alemanha
Saterland: moinhos de vento “Holländer-Gallerie-Windmühlen”
Westgrossefehn: instalação de turfas, Fehnmuseum, moinho “Holländer-Mühle”
Wiesmoor: órgão hidráulico, salão de exposição de flores, eclusa

www.deutsche-fehnroute.de

Controle de site acessível

Dois atalhos úteis para o zoom no seu navegador:

Aumentar: +

Diminuir: +

No seu navegador, você encontra mais informações clicando o ícone: