Wachtenburg, Wachenheim, na Rota do Vinho
Wachtenburg, Wachenheim, na Rota do Vinho ©gliglag.de/Medien-Datenbank DWM
Rotas de férias de A a Z
A Rota Alemã do Vinho

Rota Alemã do Vinho – As cores e os sabores das uvas

A culpa é dos romanos. Foram eles que trouxeram o vinho para o Palatinado e o resultado está aí: a Rota Alemã do Vinho. Desde 1935, ela atravessa em curvas sinuosas o Palatinado, desde o “Deutsches Weintor”, a Porta Alemã do Vinho, na fronteira com a França, em Schweigen-Rechtenbach, até Bockenheim, cerca de 85 km ao norte.

No Palatinado, terra do Riesling “par excellence”, é o local ideal para o vinho. O clima aqui é particularmente ameno. Para o visitante, um verdadeiro paraíso: as amendoeiras florescem cor de rosa já na primavera; no verão há kiwis, figos, limões e grande arbustos de oleandros decorando os pátios e jardins; no outono, o aroma das videiras sinaliza a colheita e anuncia a deliciosa cozinha regional. Tudo isso faz com que a Rota Alemã do Vinho seja um verdadeiro rali de prazeres e sabores.

Mundo dos vinhos

A Rota Alemã do Vinho não é uma pista de corrida. Isso se deve não só ao fato de a estrada passar por trechos estreitos nas pequenas aldeias vinícolas, e às curvas subindo as encostas de vinhedos, mas principalmente porque é possível parar em cada cidadezinha para uma prova de vinho. Seja à sombra das videiras, na beira da estrada, ou em adegas de prova nas diversas vinícolas ao longo do caminho, há sempre vinhos excelentes de regiões demarcadas famosas para servir. Nesse cantinho ensolarado da maior zona de viticultura da Alemanha, onde as uvas são campeãs, o espírito de Dionísio, o deus do vinho, está sempre por perto. Sem o esquecer do carro-chefe do Palatinado: o trio Riesling, Grauburgunder e Dornfelder é garantia de puro prazer.

Um local surpreendente

Um local de primeira na rota é o Dürkheimer Weinfass – o maior barril do mundo, com um volume de 1,7 milhão de litros e espaço para cerca de 650 pessoas que hoje é uma adega para provas de vinho e especialidades culinárias. A programação de festas do vinho no calendário é quase tão longa quanto a própria Rota do Vinho: começando com a festa das amendoeiras em flor, na primavera, até a maior festa de vinho do mundo – Dürkheimer Wurstmarkt – e a festa da colheita do vinho, em Neustadt, com eleição da Rainha do Vinho da Alemanha, e terminando com a festa que comemora o fim do outono, no final de outubro, em Schweigen-Rechtenbach.

Simplesmente um prazer completo

Na terra dos vinicultores, o vinho é parte essencial da vida e é impossível imaginar festas sem ele – sem dúvida o personagem principal em todas as festividades. Para não fica com saudades, é só retornar pelo mesmo caminho, na direção contrária, e logo todas as boas lembranças se tornarão realidade outra vez. Quem já esteve ali sabe disso!

Rota Alemã do Vinho

Extensão: cerca de 85 km

Tema: vinho, degustação, cultura, natureza

Destaques:
Bad Bergzabern: castelo, termas
Bad Dürkheim: Dürkheimer Fass
Bockenheim: Traubenmadonna (madona das uvas), igreja Lambertskirche
Deidesheim: museu, igreja paroquial
Edenkoben: antigas casas de vinicultores
Neustadt: enxaimel, museu ferroviário, castelo de Hambach
Schweigen-Rechtenbach: Porta da Rota do Vinho
Wachenheim: castelo

www.deutscheweinstrasse-pfalz.de

Controle de site acessível

Dois atalhos úteis para o zoom no seu navegador:

Aumentar: +

Diminuir: +

No seu navegador, você encontra mais informações clicando o ícone: