Este é o sabor da Alemanha.

Todos sabem que a cerveja e as salsichas não podem faltar nas festas e feiras – mas essa é apenas uma pequena parte do mundo de delícias que a Alemanha tem para oferecer. Faça uma viagem de descobrimentos culinários pela Alemanha. Você ficará surpreso com a variedade de sabores e de novas experiências esperando por você.

A receita da salsicha Rostbratwurst da Turíngia, que já era apreciada por Goethe, existe há 600 anos. Mas os cerca de 3.000 açougueiros que produzem a verdadeira salsicha da Turíngia, guardam bem o segredo dos ingredientes e se limitam a dizer que a salsicha contém carne de porco, manjerona, cominho e alho. Uma coisa é certa: a salsicha tem que ser grelhada sobre carvão e pesar cerca de 150 gramas. Essa comida típica da Turíngia deve ser saboreada, aliás, com a verdadeira mostarda da Turíngia. No primeiro museu das salsichas assadas na Alemanha, o Bratwurstmuseum, próximo a Arnstadt, é possível ver, entre outras coisas, o documento mais antigo referente à Bratwurst da Turíngia, do ano de 1404.

mais »

A marca regional “Typisch Harz” designa os produtos originais e serviços da região do Harz. Identidade regional, qualidade e sustentabilidade são os três parâmetros desta etiqueta. A região do Harz é conhecida, por exemplo, pelo seu queijo, o Harzer Käse. Esse pequeno queijo feito de a partir do queijo fresco chamado de “Quark” é particularmente rico em proteína, tem pouca gordura e é extremamente saudável.

mais »

O Riesling é a casta dominante na região vinícola de Rheingau e Bergstrasse, em Hessen. Ela foi mencionada pela primeira vez por volta de 1500. O espectro aromático variado e uma acidez elegante são característicos do Riesling, que costuma ser chamado de o rei entre os vinhos alemães. A propósito, foi no castelo Schloss Johannisberg, em Rheingau, que a foi criada a “Spätlese”, em 1775, porque a colheita só começou muito tarde. E o responsável, diz a história, foi o “Spätlesereiter”, o cavaleiro que chegou atrasado com a autorização para a colheita.

mais »

Em 1912, Alfred Eugen Ritter e sua mulher, Clara, fundaram em Bad Cannstatt, um distrito de Stuttgart , uma fábrica de chocolate e doces. Em 1932, Clara criou uma barra de chocolate que podia ser levada no bolso de qualquer casaco e tinha o mesmo peso de uma das barras normais mais longas. Hoje, o formato quadrado do chocolate de Baden-Württemberg tornou-se uma marca registrada conhecida no mundo inteiro. Na atual sede da empresa, em Waldenbuch, o visitante encontra uma exposição sobre o chocolate, uma oficina do chocolate e uma coleção de obras de arte quadradas.

mais »

Um dos passatempos prediletos dos habitantes do Sarre é, sem dúvida, o “Schwenken”, uma espécie de churrasco. Um ditado popular diz que enquanto os homens pensam e Deus comanda seus destinos, o povo do Sarre curte o seu churrasco. Nas épocas de calor, o aroma de carne de porco grelhada toma conta do espaço. Descubra a arte do churrasco nessa grelha especial em uma das festas populares do Sarre, como a Emmes, em Saarlouis, sempre no primeiro fim de semana de junho.

mais »

Quando há uma coroa de caules de videira sobre a porta de uma vinícola, é um sinal de que o proprietário abriu sua “Strausswirtschaft”, uma espécie de restaurante caseiro, aberto ao público temporariamente. Em uma época determinada do ano, o proprietário pode servir e vender seu próprio vinho durante quatro meses. Na Renânia Palatinado esse costume, introduzido na época de Carlos Magno, há doze séculos, é apreciado tanto pela população local, quanto pelos turistas. Na região do Mosela, os pratos prediletos junto com o vinho, além das bandejas de queijo e frios com pão, são clássicos como os pratos de queijo “Handkäs mit Musik” e “Spundekäs”, em Rheinhessen, ou o “Pfälzer Saumagen”.

mais »

Pepinos em conserva, em vidros ou diretamente de barris: conservados com temperos, mostarda, alho, em vinagre ou pimenta, os pepinos Spreewälder Gurken são perfeitos para beliscar a qualquer hora. Durante um passeio de bicicleta nos quase 260 quilômetros da ciclovia do pepino, a “Gurkenradweg”, o visitante pode acompanhar a produção do pepino desde a colheita até a embalagem em vidros – e descobrir os sabores das diferentes variedades. Mas nem tudo é revelado: receitas familiares, mantidas rigorosamente em segredo, são a chave para o sabor incomparável.

mais »

Mais de 3.300 empresas de gastronomia convidam para uma cerveja Kölsch bem gelada em Colônia . Essa cerveja de alta fermentação é servida, tradicionalmente, em pequenos copos de 200 ml, chamados de Stangen. E é por isso que os garçons (Köbes) têm que suar a camisa quando a sede dos clientes é grande. Apesar disso, quem visita a cidade vai encontrar sempre a verdadeira hospitalidade de Colônia - desde que não se arrisque a pedir uma cerveja tipo pilsener.

mais »

Controle de site acessível

Dois atalhos úteis para o zoom no seu navegador:

Aumentar: +

Diminuir: +

No seu navegador, você encontra mais informações clicando o ícone: