• 0

Braunschweig: a cidade dos leões e dos cientistas.

Tradicional e também moderna, Braunschweig é uma grande cidade que apresenta testemunhos impressionantes de sua rica história e belos bairros que mantiveram um charme especial ao longo dos séculos. Mas a arquitetura contemporânea, a exemplo da Happy-Rizzi-Haus, um ambiente dinâmico de arte e cultura, além de grandes parques exercem seu fascínio.

A história de Braunschweig está intimamente ligada à dinastia dos Guelfos (Welfen): no século XII, o duque Henrique, o Leão, declarou que Braunschweig seria sua residência oficial, transformando o local em cidade hanseática e poderoso centro comercial. O castelo de Dankwarderode, a catedral de St. Blasii e a estátua do leão na praça do castelo (Burgplatz) lembram essa grande figura da história da cidade. Durante a regência de Otto IV, também da linhagem dos Guelfos, Braunschweig tornou-se cidade imperial e, portanto, um dos mais importantes centros da Europa. Até o século XX, a dinastia dos Guelfos continuou a marcar o desenvolvimento da cidade, promovendo construções e também a ciência e a arte. Como resultado, a cidade foi muito procurada por grandes intelectuais, que fizeram de Braunschweig um centro de inovações – o que perdura até hoje. A pesquisa e o desenvolvimento continuam tendo grande destaque na cidade, inúmeros institutos internacionais têm sua sede ali e desde 2007 Braunschweig detém o título de "Cidade da Ciência".

Mas a cidade dedica também uma atenção especial à arte. O museu Herzog Anton Ulrich, por exemplo, é considerado o mais importante museu de arte no estado da Baixa Saxônia, e sua coleção de arte antiga uma das mais completas de toda a Alemanha. Já o teatro estadual Staatstheater oferece uma programação moderna, assim como os diversos palcos particulares e grupos de artistas, que, atraídos pelo clima positivo da cidade, trazem uma oferta cultural bem diferente, mas sempre com excelente qualidade. É também de alta qualidade o comércio de Braunschweig: quem passear pelo belo centro da cidade, vai encontrar as melhores ofertas para comprar artigos de categoria internacional. Você verá também arquitetura de categoria internacional no Ackerhof, uma pequena praça no bairro Magniviertel: ali você pode apreciar a aparência maluca da Happy-Rizzi-Haus, do artista americano James Rizzi. E, para completar, provavelmente a casa de enxaimel mais antiga da Alemanha. Um contraste típico para Braunschweig: o antigo e o novo, convivendo lado a lado. E você junto.

Principais atrações das cidades

Não é surpresa que o leão seja o emblema de Braunschweig: o leão do castelo, uma estátua de bronze do ano de 1166, antigamente dourado, foi colocado por Henrique, o Leão, como símbolo de seu poder e de sua jurisdição. Ele é uma das principais obras das esculturas romanas, foi fundido com grande probabilidade em Braunschweig e foi a primeira figura livre monumental na Europa ao norte dos Alpes. O original pode ser visitado no castelo Dankwarderode. Na praça do castelo há uma reprodução fiel ao original.

Nos limites do bairro histórico Magniviertel fica a casa projetada pelo artista nova-iorquino internacionalmente famoso, James Rizzi: a Happy Rizzi House. Por iniciativa do galerista Olaf Jaeschke e do arquiteto Konrad Kloster, ela foi construída no período de dois anos. As portas da casa, risonhas e coloridas, foram realizadas como corpos tridimensionais e parecem esculturas que podem ser atravessadas. A construção é usada hoje como prédio de escritórios e, infelizmente, não pode ser visitada. Mas vale a pena ser vista, mesmo assim.

Grande parte do castelo Residenzschloss em Braunschweig foi destruída na Segunda Guerra e em 1960 ele foi totalmente derrubado. Em 2007, 47 anos depois de ter sido derrubado, as fachadas do castelo foram reconstruídas com mais de 600 peças originais. O castelo Residenzschloss da dinastia dos Welf foi reconstruído segundo planos antigos e fotos históricas, no tamanho original e no local histórico. Assim como no castelo histórico, o pórtico da residência ostenta um grupo de carruagens, a maior quadriga da Europa, dirigida pela deusa da cidade, Brunonia.

A coleção de instrumentos musicais históricos em Braunschweig é de alta qualidade internacional.

Ela possui exemplares notáveis de violinos, bandolins. violões, harpas e, principalmente, instrumentos de teclas que refletem bem a tradição da construção de pianos em Braunschweig. Instrumentos de sopro como cornetos, trompetes, flautas, clarinetes e outros completam a coleção, que inclui também a flauta transversa do rei da Prússia, Frederico II, o violino de Louis Spohr quando jovem, o piano retangular de Heinrich Steinweg (1835) e o pianoforte de cauda de propriedade da famosa pianista Clara Schumann.

Exibir mais