Ulm

Ulm: a melhor conexão entre tradição e modernidade.

Dominando a arquitetura da cidade há séculos, a torre da catedral de Ulm parece subir infinitamente ao céu. Destruída em grande parte na guerra, Ulm procurou depois o caminho certo para reconstruir a cidade. A opção foi um acordo perfeito, que permitiu criar uma paisagem bem característica da cidade: restaurada com extremo cuidado por um lado, e extremamente moderna por outro.

É claro que a catedral de Ulm, o "dedo de Deus", com a maior torre de igreja do mundo, é o monumento arquitetônico que domina a cidade. E a praça da catedral, a Münsterplatz, que reúne de forma magistral história com uma arquitetura de vanguarda, é um espaço urbano extremamente impressionante. Mas não há dúvida que Ulm é mais do que a catedral e sua praça. Isso já pode ser percebido a poucos passos de distância, quando o visitante se depara com a bela prefeitura: a parte mais antiga foi erigida em 1370, como casa comercial, foi chamada de prefeitura pela primeira vez em 1419 e por volta de 1520 foi colocado o relógio astronômico ricamente ornamentado. Nas escadarias do prédio, o visitante pode admirar uma réplica do aparelho voador de Albrecht Ludwig Berblinger, o célebre "alfaiate de Ulm". Infelizmente, suas tentativas de voo há cerca de 200 anos não tiveram êxito: no dia decisivo, não havia ventos que ajudassem e o "voo" teve seu fim nas correntezas do Danúbio. Mesmo assim, esse homem industrioso continua a ser respeitado, e uma prova de que os habitantes de Ulm não têm medo de se arriscar em novas dimensões, pelo menos intelectualmente, é o fato de que Albert Einstein nasceu em Ulm. Do ponto de vista do urbanismo, pelo menos, o projeto do "Novo Centro", entre a praça da catedral e a prefeitura, gerou novas dimensões; o antigo e o novo formam aqui um conjunto com uma grande riqueza de contrastes. Em primeiro lugar, merece ser mencionada a Stadthaus do arquiteto nova-iorquino Richard Meier, um marco da moderna arquitetura de reputação internacional, aberta para encontros entre a arte, a cultura e pessoas – e uma cidade notável.

Em seu subsolo há uma interessante exposição permanente sobre a arqueologia e a história da praça da catedral – o que já é um belo contraste com a arquitetura do prédio. Outras obras que apostam em uma linguagem de formas modernas diretamente nas vizinhanças da catedral e da prefeitura são a "Haus der Sinne" (a casa dos sentidos), que abriga uma ótica que tem um café no terceiro andar e uma vista maravilhosa para a catedral, o prédio da caixa econômica, o museu Kunsthalle Weishaupt de Wolfram Wöhr, a pirâmide de vidro da Biblioteca Municipal de Gottfried Böhm e o prédio comercial "Obere Stube", com sua fachada móvel – que deixou especialistas fascinados, mas os habitantes de Ulm divididos. O passeio continua através do Weinhof, um estabelecimento comercial de renome há quase 500 anos, pela antiquíssima casa de pedra, a capela romana Nikolauskapelle, de cerca de 1220, até a "Schwörhaus" do século XVII. Todos os anos, na "segunda-feira do juramento", ou "Schwörmontag", o feriado nacional de Ulm, o prefeito sobe à varanda da prefeitura para renovar seu juramento à constituição municipal, cumprindo um ritual definido já em 1397 na Grande Carta do Juramento. É emocionante também a visita ao Museu de Ulm. O acervo arqueológico tem uma das obras plásticas de um homem-animal mais antigas do mundo, o "homem-leão", com cerca de 30.000 anos, e abriga, entre outras coisas, uma coleção de importantes obras de arte europeias e americanas pós 1945.

Outra coisa que chama a atenção na imagem da cidade são duas torres da antiga fortaleza da cidade: a Gänseturm (torre dos gansos) e a Metzgerturm (torre dos açougueiros), construída em 1345 e mais conhecida como "a torre inclinada de Ulm". Por trás dela existe uma anedota típica de Ulm: segundo ela, a torre recebeu esse nome pelos açougueiros que "completavam" o conteúdo de suas salsichas misturando serragem. Quando os cidadãos ficaram sabendo disso, prenderam os culpados na torre. Dizem que, quando o prefeito entrou ali zangado, os gordos açougueiros, correram com medo para um canto e a torre se inclinou com o peso. A verdade é que a torre é inclinada porque o alicerce está sobre um antigo pântano. Mas você não precisa ter medo de afundar, principalmente no agradável bairro de pescadores, a "sala de estar" medieval da cidade, ou em um dos muitos locais ao ar livre para tomar cerveja, em Ulm e Neu-Ulm, a cidade irmã da Baviera, na outra margem do Danúbio. Mas isso, é claro, fica a seu critério. O importante é que você visite Ulm.

Principais atrações
Highlights

Descubra no mapa a Alemanha como destino turístico

Adicione aqui os seus favoritos. Você pode salvar, selecionar, separar e imprimir a sua seleção e planejar toda a sua viagem na Alemanha.

0 favoritos selecionados