• 0

Darmstadt: poetas, pensadores, cientistas espaciais.

Se houvesse uma espécie de melhor aluna da classe entre as cidades alemãs, ela seria Darmstadt. Culta e erudita, com interesses variados e de aparência elegante, Darmstadt ganhou um perfil bem pessoal e adquiriu certa fama através da ciência, literatura, arte e arquitetura.

A fundação da Colônia de Artistas Mathildenhöhe há mais de cem anos colocou Darmstadt nessa posição especial. Essa colina inspiradora continua absolutamente inconfundível até hoje, com suas belas casas em estilo art-noveau. Depois de 1949 e de anos marcados pela tristeza e pela falta de moradias na cidade quase totalmente destruída, Darmstadt passou por uma nova fase de crescimento cultural que levou à abertura de instituições inovadoras e à instalação sistemática de uma "indústria limpa": a grande quantidade de editoras e gráficas, além de renomados institutos internacionais de literatura, arte e música, e do centro de controle de satélites ESOC, tornaram-se marca registrada da cidade. A entrega do prêmio de literatura mais importante na Alemanha, o Georg-Büchner, o museu estadual Hessisches Landesmuseum, com a maior coleção de obras do artista Beuys no mundo, o salão de arte Kunsthalle, o teatro Staatstheater, um circuito efervescente de música e de variedades, além de diversas galerias, dão à cidade um apelo cultural especial. Desde 1999, outra grande instituição cultural abriu suas portas: a Centralstation, uma antiga fábrica declarada patrimônio histórico, apresenta teatro, salões de literatura, exposições, concertos e clubes.

E isso ainda não é tudo: entre as atrações, estão também a antiga Prefeitura, a praça Luisenplatz, o castelo na praça Marktplatz, as igrejas Ludwigskirche e Pauluskirche, a casa octogonal Achteckhaus e a Orangerie, a Rosenhöhe e a Capela Russa, com seus plátanos românticos. E, é claro, as escavações em Messel, patrimônio mundial da UNESCO e uma porta para a história antiga do nosso planeta. Finalmente, a construção espiral Waldspirale, do austríaco Friedensreich Hundertwasser, que realizou com essa obra tardia sua visão de uma nova forma de habitação. São famosos também os debates sobre temas filosóficos e sociais atuais, realizados regularmente desde 1950 com o título de Darmstädter Gespräche (Diálogos de Darmstadt), e que desde 2005 passaram a se chamar Neue Darmstädter Gespräche (Novos Diálogos de Darmstadt). E desde 1951, quando foi realizada ainda entre barracões e ruínas, acontece a festa anual da cidade de Darmstadt, a Heinerfest. A melhor prova de que os habitantes de Darmstadt não só sabem discutir com inteligência, mas também ser alegres e festejar com descontração. E isso, de preferência, na companhia de convidados.

Principais atrações das cidades

O Grão-Duque Ernst Ludwig, de Hessen, fundou a Colônia de Artistas Darmstadt com o objetivo de reformar totalmente a arte e o artesanato.

O museu pertencente à colônia fica na colina Mathildenhöhe, no antigo prédio de ateliês, famoso pelo seu marcante portal, com a forma de um ômega. A exposição documenta a história da colônia de 1899 a 1914, fazendo um apanhado da produção artística da época e de seus principais representantes. Estão expostos móveis, conjuntos de decoração interior, vidros, cerâmica, produtos têxteis, peças de ourivesaria, gravuras, pinturas, esculturas e modelos arquitetônicos.

A construção projetada pelo arquiteto Friedensreich Hundertwasser e batizada de Waldspirale, ou "espiral de florestas", é a principal atração do bairro Bürgerpark, nos arredores do centro da cidade. Aqui, Hundertwasser demonstra seu conceito de uma forma individual de morar, longe das normas comuns. Seguindo esse princípio, ele projetou uma fachada sem nenhum padrão uniforme, janelas desalinhadas, um telhado onde crescem árvores e muito mais. Como as áreas externas são de livre acesso, os visitantes também podem desfrutar da atmosfera particular desse edifício residencial. Depois, você pode digerir suas impressões tomando um café vienense no bistrô.

O ESOC (European Space Operations Centre) é o centro de controle da agência espacial europeia, ESA, em Darmstadt, portanto, a porta para o universo. Cabem à ESA a concepção e o desenvolvimento da navegação espacial europeia, a pesquisa do sistema solar e do espaço terrestre e do clima, além do desenvolvimento da tecnologia de navegação espacial. O foco é a navegação sem tripulação. Aqui é possível olhar para o universo e os satélites girando na distância, e ter uma ideia da imensidão do universo.

O sítio fossilífero de Messel, próximo a Darmstadt, é um tesouro da natureza. Há cerca de 50 milhões de anos, no Terciário, vivia aqui uma grande variedade de animais, cujas espécies hoje estão extintas, ou são encontradas apenas nos trópicos. O xisto betuminoso do antigo lago guarda ainda muitos segredos e tem uma riqueza enorme de fósseis de animais e plantas, alguns deles em excelente estado de conservação. Eles nos dão informações sobre o deslocamento dos continentes e a sedimentação da Terra, sobre a formação dos oceanos e istmos entre os continentes, sobre a profundidade da biosfera e sobre o clima e os ciclos de vida dessa era. Leia mais

Exibir mais