• 0
Magic Cities de A a Z
Frankfurt: museu de tudo o que é verdadeiramente bom e belo.

Frankfurt: museu de tudo o que é verdadeiramente bom e belo.

Na verdade, Frankfurt é uma cidade bastante moderna. Negócios, arquitetura e o terceiro maior aeroporto da Europa – tudo do mais moderno. Talvez por isso, Frankfurt tenha também uma desenvolvido um carinho especial por museus de todos os tipos, tendências e tamanhos. A ideia é: estar sempre à frente do seu tempo, mas sabendo conservá-lo.

Quando se fala em Frankfurt, talvez se pense primeiro em grandes negócios, corretores, bancos e bolsa de valores. Tudo é verdade – mas não é só isso. Pois Frankfurt tem um circuito de museus como poucos. Principalmente o Museumsufer, na parte sul do Meno, é impressionante, tendo à frente o maravilhoso instituto de arte Städelsche Kunstinstitut, com a galeria municipal, a Städtische Galerie. Um dos museus de arte mais importantes da Alemanha, que fica no coração do centro de museus de Frankfurt, ele apresenta obras-primas da arte europeia produzida durante nove séculos. A ala ampliada no subsolo, abriga o acervo a partir de 1945, que inclui estrelas como Joseph Beuys e Gerhard Richter. Um pouco adiante, na direção leste, as atrações são o Museu do Cinema e o Museu da Arquitetura, que é, ele próprio, um exemplo de arquitetura inovadora e nada convencional. E a poucos metros de distância encontra-se o Museum für Angewandte Kunst (MAK), o museu de arte aplicada: 1.000 anos de artesanato artístico expostos em uma obra impressionante do arquiteto americano Richard Meier. Do outro lado do Meno, também a poucos minutos de distância, vale a pena visitar o museu de arte moderna projetado por Hans Hollein, Museum für Moderne Kunst (MMK), ou ver uma exposição no Kunsthalle Schirn, que já se estabeleceu como um dos principais espaços para exposições na Alemanha e na Europa. As diversas galerias em torno da catedral expõem arte, em menor escala e um pouco fora das correntes convencionais, mas também de qualidade selecionada. E até o metrô serve de espaço para a arte, como na estação Dom/Römer, onde o projeto "Grenzland" mostra trabalhos que combinam arte, arquitetura e design.

A cultura e a história judaicas ultrapassam também limites do concreto, desde os primórdios do século XII até seu recomeço após 1945. O museu judaico, Jüdisches Museum, nos salões históricos do Palácio Rothschild, e a sucursal do museu na Judengasse (Beco dos Judeus), dão um testemunho autêntico e emocionante disso. Uma figura ligada também intimamente a Frankfurt é o grande filho da cidade, Johann Wolfgang von Goethe, cujas lembranças podem ser seguidas para conhecer a cidade como era no século XVIII. Por exemplo, na casa de Goethe, a Goethehaus, ou em um lugar um pouco mais profano, a Gerbermühle, um restaurante com serviço ao ar livre nas margens do Meno, onde o poeta e pensador costumava tomar seu vinho de maçã. Outro frequentador do Gerbermühle foi provavelmente o médico Heinrich Hoffmann, natural de Frankfurt e autor de um clássico da literatura infantil: o "Struwwelpeter", o menino que não gostava de banho. Os habitantes de Frankfurt dedicaram a ele um museu instalado em uma mansão no bairro elegante de Westend, onde há desenhos, edições raras do Struwwelpeter, traduções, paródias e muito mais para se ver. E quem achar que isso é engraçado, não deve perder também o Caricatura, o principal museu alemão para o humor absurdo de qualidade. F. W. Bernstein, Robert Gernhardt, Chlodwig Poth, Hans Traxler, F. K. Waechter, Bernd Pfarr e muitos outros garantem muitas risadas e bom humor.

Nos bancos e prédios de escritórios, talvez o clima não seja tão bem humorado, mas é certamente mais realista. Eles formam a silhueta urbano mais impressionante da Europa, o verdadeiro símbolo da cidade. Mas, acredite, a arte está presente aqui também: as coleções do Deutsche Bank, Commerzbank ou DZ Bank poderiam estar expostas em qualquer museu e, em determinadas épocas, são mostradas ao público. Torres de bancos como espaço para a arte: isso é realmente típico de Frankfurt.

Principais atrações das cidades

As fachadas dos arranha-céus dos bancos, com sua arquitetura futurista, são um traço característico do centro da cidade. É aqui, entre a estação ferroviária, o centro de convenções e o teatro da ópera, que Frankfurt realiza seu desejo natural de chegar ao topo do mundo: no centro financeiro. Os dois arranha-céus na rua Bockenheimer Strasse, construídos ainda nos anos 60, são dominados hoje pelos gigantes que acabaram dando à Frankfurt o apelido de "Mainhattan". Dois clássicos da arquitetura são a sede do Deutsche Bank, com suas duas torres simbolizando "débito e crédito", e a torre do centro de convenções, um exemplo grandioso do pós-modernismo.

Nas margens do rio Main em Sachsenhausen, entre as pontes Eiserner Steg e Friedensbrücke, fica a zona conhecida como Museumsufer, a região cultural e artística de Frankfurt, onde se concentram 13 diferentes museus de renome e que se tornou um dos pontos de referência mais importantes para museus na Alemanha e em toda a Europa. Entre os principais destaques estão o Museu do Artesanato, cujo próprio prédio vale a pena ser visitado, o Museu do Cinema e o Museu de Etnologia. O Museumsufer é também palco de uma festa realizada todos anos, no último fim de semana de agosto, e da Noite dos Museus, que acontece também anualmente, na primavera.

O Museu Judaico de Frankfurt está instalado nos salões históricos do Palácio de Rothschild, construído entre 1812 e 1824. Juntamente com o anexo do museu na rua Judengasse, ou Beco dos Judeus, as exposições giram em torno da história da comunidade judaica em Frankfurt, desde seus primórdios no século 12, passando pelo fim do Gueto de Frankfurt e pelos crimes nazistas, até a luta pela integração social e o recomeço das comunidades judaicas depois de 1945. Utensílios e objetos litúrgicos ilustram o cotidiano e a cultura nas sinagogas e nos lares, na vida de cada um e na coletividade.

Exibir mais
Eventos

The Schirn building itself is a bit like a modern art work in the heart of Frankfurt's old quarter, a light, angular design contrasting with the grand, red sandstone cathedral and the Römer, the old town hall. This art gallery lies in the heart of the city – and is an important focal point in Frankfurt's cultural life. It is also one of the most celebrated galleries in Germany and in Europe.

Schirn is the Hessian word for a structure such as a hut or a shed, but this belies its significance in the world of art. Since opening in 1986, the Schirn has staged some 200 exhibitions. It has no collection of its own but organises temporary exhibitions and projects on selected themes or the work of individual artists. The themed exhibitions have made most notable contribution to the gallery's international reputation, for instance Viennese art nouveau, Expressionism, Dadaism and Surrealism, the history of photography and subjects such as 'shopping – art and consumerism', and the visual art of the Stalin era. Major retrospectives have honoured artists such as Wassily Kandinsky, Marc Chagall, Alberto Giacometti, Frida Kahlo, Bill Viola, Arnold Schoenberg, Henri Matisse and Julian Schnabel.

Taking a stance on topical themes and aspects of artistic creation can be said to be the Schirn's hallmark. It aims not only to engage visitors in a meaningful exhibition experience but also to encourage active participation in the cultural discussion.

Próximas datas:

26.09.2019 - 12.01.2020

26.09.2019 - 12.01.2020

11.10.2019 - 12.01.2020

11.10.2019 - 12.01.2020

13.02.2020 - 24.05.2020

Local do evento

Schirn Kunsthalle
Bendergasse
60311 Frankfurt am Main

Todas as informações sobre preços, datas e horários de abertura estão sujeitas a alteração.
This meeting point for international media is a major cultural event. The publishing and media sector is innovative, varied and international like nowhere else. This year, Norway is the guest of honour.

Próximas datas:

16.10.2019 - 20.10.2019

Local do evento

Centre de conférence à Francfort-sur-le-Main
Ludwig-Erhard-Anlage 1
60327 Frankfurt

Todas as informações sobre preços, datas e horários de abertura estão sujeitas a alteração.

The Städel Museum in Frankfurt, also known as the Städel Institute of Art and Municipal Gallery, is one of the leading art museums in Germany. It was founded in 1816 by the great patron of the arts from Frankfurt Johann Friedrich Städel and the collection has been housed in its current location since 1878. The Städel Museum is one of the main attractions along Frankfurt's 'museum embankment'. The breadth and wealth of museums and galleries overlooking the banks of the Main here are unique in Germany.

With over 2,900 paintings and around 100,000 drawings and prints, the collection gives a comprehensive insight into more than 700 years of European art history – from the Middle Ages, the Renaissance, the baroque era and Classical Modernism right through to the present day. Among the highlights are works by Lucas Cranach, Albrecht Dürer, Sandro Botticelli, Rembrandt, Jan Vermeer, Claude Monet, Pablo Picasso, Ernst Ludwig Kirchner and Max Beckmann. The collection also includes works by prominent post-1945 artists such as Francis Bacon, Georg Baselitz, Jörg Immendorff, Martin Kippenberger, Anselm Kiefer, Gerhard Richter and Sigmar Polke. Worthy of special mention are Andy Warhol's screen-print series 'Goethe', a donation by the artist to the Städel Museum, and 'Goethe in the Campagna' by Johann Heinrich Wilhelm Tischbein. Since 1976 the fascinating sculpture garden has displayed mainly contemporary works, including pieces by Joseph Beuys, Ulrich Rückriem, Richard Serra, Anthony Caro, George Rickey and David Smith.

Próximas datas:

26.06.2019 - 13.10.2019

23.10.2019 - 16.02.2020

13.11.2019 - 06.02.2020

Local do evento

Städel Museum
Dürerstraße 2
60596 Frankfurt am Main

Todas as informações sobre preços, datas e horários de abertura estão sujeitas a alteração.

Apresentações e eventos

Buscar eventos
(em alemão e inglês)
Outros critérios de busca
Redefinir tudo