• 0
Erfurt: onde a beleza e a autoconfiança se encontram.

Erfurt: onde a beleza e a autoconfiança se encontram.

Igrejas, torres, pontes, grande cultura e festas esplendorosas: o charme medieval e a rica cultura de Erfurt, além da alegria e da hospitalidade de seus habitantes, cativam o visitante. Situada no cruzamento de antigas rotas comerciais alemãs e europeias, a capital do estado da Turíngia sempre foi ponto de encontro e abrigo de pensadores e personalidades importantes, um centro de inovações, seguro e orgulhoso, e atração para visitantes de todo o mundo.

Erfurt, repleta de torres – era assim que Martinho Lutero se referia à cidade, onde as torres de 25 igrejas paroquiais, 15 mosteiros e conventos e dez capelas subiam rumo aos céus. À frente de todos, a catedral Mariendom e igreja Severikirche, um conjunto arquitetônico de rara beleza na Europa, obra-prima do gótico alemão. No interior da catedral, o que impressiona é principalmente o coro, cujas 13 janelas de vidro, de quase 18 metros de altura, formam um ciclo de cores magníficas. Magnífico é também o "Gloriosa", o maior sino medieval de livre oscilação no mundo. Hoje, a sombra das torres da igreja caem sobre as casas de enxaimel, cuidadosamente restauradas, e os belos prédios renascentistas do centro histórico – e sobre o Festival DomStufen, um dos eventos de teatro ao ar livre mais bonitos da Alemanha, realizado todos os anos. O mosteiro agostiniano, Augustinerkloster, onde Martinho Lutero passou cinco anos, a Predigerkirche (igreja dos pregadores), ou a fortaleza na citadela de Petersberg são grandes exemplos da arquitetura medieval e dos tempos modernos. Essa lista não pode deixar de incluir também a antiga sinagoga, a mais antiga sinagoga conservada na Europa até o telhado, que hoje abriga um museu extraordinário sobre a história judaica. Faz parte do museu ainda um banho judeu ritual, descoberto nos arredores em 2007. Erfurt, porém, não é apenas uma cidade de construções religiosas, mas também de pontes. Há 142 pontes atravessando o Gera, seus afluentes e a área de inundação ao longo da antiga muralha da cidade. A mais famosa de todas é certamente a Krämerbrücke, a maior ponte da Europa construída totalmente com casas habitadas ao longo dela.

Arte artesanal, galerias, bistrôs de vinho, lojas de música e antiquários caracterizam a Krämerbrücke – sem esquecer, claro, da Krämerbrückenfest, a maior e mais atrativa festa de cidades históricas da Turíngia. Nos becos em torno da ponte, a Idade Média é revisitada todos os anos – trazendo com ela a antiga arte artesanal e cantos medievais, malabaristas e palhaços e o colorido dos vendedores de rua. Embora essa seja a festa mais famosa em Erfurt, ela nem de longe é a única. Também em pleno centro histórico, acontece a Petersbergfest, com suas grandes apresentações histórico-militares, e logo no início do ano, o período do carnaval já cria um clima de alegria. Na primavera, a feira "Erfurter Töpfermarkt" oferece raridades em cerâmica, no verão, o mercado de flores e jardinagem transforma a Domplatz, praça da catedral, em um conto-de-fadas colorido, enquanto no outono é a vez da feira de cereais oferecer a colheita local de frutas, legumes, mel e muito mais. Em 10 de novembro, crianças passam cantando pelas ruas e becos, levando seus lampiões para a festa Martinimarkt, em homenagem a São Martinho, e lembrando o reformador Martinho Lutero. E durante o período do Advento, quando a Feira de Natal abre suas portas, um perfume de canela, gengibre, bolo de especiarias e amêndoas assadas toma conta da cidade. Mas os habitantes de Erfurt não passam a vida apenas festejando. Eles apreciam também tesouros culturais, como os expostos no Museu Folclórico de da Turíngia, situado no Juri-Gagarin-Ring. Ou no museu de arte da cidade, o Angermuseum. Ou ainda no museu municipal, o Stadtmuseum, instalado na "Haus zum Stockfisch", um dos prédios mais representativos do Renascimento. Não importa a escolha, você sempre ficará satisfeito em Erfurt. E talvez você encontre nessa cidade magnífica o seu próprio renascimento.

Principais atrações das cidades

A edificação profana mais antiga e mais interessante da antiga Erfurt foi construída primeiramente com madeira e reconstruída em 1325 com pedra. A ponte de pedestres une a praça Benediktplatz no centro histórico com o Wenigermarkt. Sobre os seis arcos, havia 62 casas de enxaimel estreitas, onde comerciantes vendiam pimenta, açúcar, açafrão e outros produtos, mas também moravam. Hoje, o visitante encontra aqui artesanato, antiguidades, souvenirs e muito mais. A construção nos dois lados da ponte é a única do gênero ao norte dos Alpes, por isso a Krämerbrücke é também considerada a mais longa ponte fechada com casas na Europa.

O maior dos mosteiros ainda conservados em Erfurt é o mosteiro dos eremitas agostinianos, construído em 1277. Ele é um impressionante monumento da arquitetura medieval das ordens religiosas e está intimamente ligado ao nome de Martinho Lutero, que aqui viveu como monge. Uma exposição sobre Lutero e a câmara em que viveu podem ser visitadas durante um tour guiado. A biblioteca é uma das mais importantes coleções de livros religiosos da Alemanha, com 60.000 volumes. Entre os 13.000 manuscritos e impressões produzidos antes do ano de 1850, destacam-se principalmente os incunábulos, os escritos da reforma protestante e as edições de Lutero. Link zu Spirituelles Reisen -> Luther) Leia mais (/link)

Uma das grandes heranças der Erfurt são os exemplos da arquitetura medieval deixados pela comunidade judaica. Uma delas é a antiga sinagoga, quase totalmente conservada e cuja construção remonta até cerca de 1094, além da mikvá de 1250, que é complementada e valorizada por algumas das maiores relíquias deixadas por antigos proprietários judeus e por manuscritos originais da época. Entre os poucos templos judeus da Idade Média que sobreviveram, a "Alte Synagoge" destaca-se não só como o mais antigo, mas também como o mais bem conservado na Europa Central.

A citadela é uma fortaleza no centro da cidade, originalmente pertencente ao arcebispado de Mainz e, mais tarde, à Prússia. Ela é considerada uma das mais bem conservadas fortalezas em toda Europa e foi construída a partir de 1665 no estilo neo-italiano. Mais tarde, ela seria a fortaleza no ponto mais ao norte do principado, servindo para protegê-lo contra os ataques do poder protestante. Sua importância estratégica foi reconhecida também pelos franceses e prussianos, que a ocuparam no início do século XIX. Com o Congresso de Viena, em 1815, Erfurt passou a pertencer à Prússia, e a citadela foi usada como fortificação até a criação do império em 1871.

Exibir mais