• 0

Berlim: uma metrópole nada anônima.

O que faz Berlim ser diferente de outras metrópoles? Primeiramente, os próprios berlinenses, cujo jeito áspero, mas também cordial, transmite a atmosfera especial dessa cidade. Naturalmente, há também uma incrível variedade de atrações que retratam tanto o otimismo e a dinâmica da vida contemporânea, como a história e os grandes dramas do século XX.

Quem pensa em Berlim costuma lembrar automaticamente da Porta de Brandemburgo, o Brandenburger Tor, provavelmente a obra mais famosa da capital. Durante décadas, ele foi símbolo da separação, mas também centro de uma metrópole sempre dinâmica, repleta de novas ideias e impulsos, de arte, cultura e criatividade. O Kurfürstendamm, sinônimo de avenida urbana elegante, a loja Kaufhaus des Westens, mais conhecida como KaDeWe, butiques modernas e galerias requintadas caracterizam o lado ocidental da cidade, assim como os maravilhosos bairros burgueses e, é claro, a famosa vida noturna berlinense. O que não pode faltar nela é uma noite no Friedrichstadt-Palast, o maior teatro de variedades da Alemanha. Puro luxo, uma explosão de luz, cores, figurinos e efeitos. O bairro onde se encontra o centro do governo sem dúvida tem também uma atmosfera cosmopolita, que se estende desde a Porta de Brandemburgo e do vizinho Reichstag, em direção ao leste. Um lugar perfeito para a paz e a liberdade – ao contrário da época em que Berlim foi palco de crimes inacreditavelmente atrozes. O monumento aos judeus assassinados na Europa, projeto do arquiteto nova-iorquino Peter Eisenman nas imediações da Porta de Brandemburgo, mantém viva essa lembrança, assim como o memorial Topografia do Terror na antiga sede da polícia secreta nazista, a Gestapo.

Na direção de Berlim Ocidental, a grande avenida de Berlim, Unter den Linden, estende-se até a praça Alexanderplatz, passando pelo patrimônio mundial da Ilha dos Museus, a Museumsinsel, pela Catedral de Berlim, pela Neue Wache e a barroca Zeughaus, que hoje abriga o Museu Histórico Alemão. O passeio continua até a Torre de Televisão, a Fernsehturm, que até hoje é a mais alta construção da Alemanha. A vista de Berlim dali até muito depois de Brandemburgo é literalmente um dos pontos altos de uma visita à cidade. A pouca distância dali fica o Gendarmenmarkt, tido como o lugar mais bonito de Berlim, formando um conjunto de rara elegância e grandeza com a Catedral Alemã (Deutscher Dom), a Catedral Francesa (Französischer Dom) e a sala de concertos Konzerthaus. Menos imponente, mas em compensação extremamente descontraída, leve e relaxante, é a atmosfera dos pátios conhecidos como Hackesche Höfe, também no centro de Berlim - a maior área fechada de pátios na Alemanha e protegida como patrimônio histórico desde 1977. O bairro revive um verdadeiro pedaço da Berlim antiga, reunindo uma mistura variada de galerias de arte, cinemas, teatros e teatros de revista, bares, restaurantes e bistrôs, lojinhas simpáticas e lojas de grandes marcas. Aqui é possível sentir ainda mais de perto o charme criativo que hoje, quase 25 anos após a queda do muro, caracteriza Berlim talvez ainda mais do que outras metrópoles. O ateliê da Alemanha, cidade onde tudo acontece, centro da moda, do design, da música: o dinamismo e otimismo da cidade reunificada foram algo incomparável – e continuam sendo até hoje. Centenas de ateliês nasceram em pátios internos, a arte tomou conta das ruas, das paredes das casas, de bairros inteiros. E as ruínas do muro, é claro, que formam uma espécie de enciclopédia da "street art" com a East Side Galley entre a ponte Oberbaumbrücke e a estação Ostbahnhof. Hoje, Kreuzberg e Prenzlauer Berg, Neukölln e Wedding são uma espécie de referência para mais de 20.000 artistas plásticos; eles influenciam a atmosfera e o ambiente da região tornando a cidade um pólo que atrai tanto artistas alternativos como os de sucesso. Mergulhe nesse universo que inspira, seduz e fascina. E conheça a gente de Berlim – além de todas as atrações turísticas, talvez a melhor razão para visitar essa cidade fantástica. E voltar sempre.

Principais atrações das cidades

Nenhum monumento em Berlim é tão conhecido como a Porta de Brandemburgo, construída entre 1789 e 1791 segundo um projeto de C. G. Langhans na praça Pariser Platz, no centro da cidade. Depois da construção do Muro de Berlim, em 1961, tornou-se impossível transpor a Porta de Brandemburgo durante 28 anos. Símbolo da reunificação, ela representa hoje de forma exemplar o presente e o passado da cidade. Seis colunas dóricas sustentam o monumento, cujas passagens estão sempre abertas agora, apenas para pedestres. A famosa Quadriga, que representa a deusa Vitória sobre uma carruagem puxada por quatro cavalos, foi instalada em 1794.

O percurso pela rua Wilhelmstraße, atravessando o antigo e o novo quarteirão do governo e das embaixadas, leva à Porta de Brandemburgo e ao "Reichstag". Os prédios dos ministérios caracterizam-se por uma combinação harmônica entre o tradicional e o novo, e entre uma elegância representativa, mas não distante. Isso vale principalmente para o "Bundeskanzleramt", a Chancelaria Federal. Daqui se vê o "Reichstag", que hoje abriga o parlamento e é uma das maiores atrações de Berlim. Sua cúpula de vidro, projetada pelo famoso arquiteto britânico Norman Foster, tornou-se destino de turistas vindos de todo o mundo.

O que a premiação do Oscar representa para os Estados Unidos, é a Berlinale para Alemanha: o maior evento cultural da cidade e um dos mais importantes eventos internacionais na indústria cinematográfica. Estrelas e aspirantes, arte e comércio, brilho e glamour definem uma festa de superlativos, com 270.000 convidados, 4.000 jornalistas e até 400 filmes, em geral lançamentos internacionais e europeus. Uma acontecimento gigantesco, mas também uma festa de encontros e debates. Cinema internacional, produções independentes, Arthouse, jovens cineastas, descobertas do cinema alemão e de países "distantes", cinema experimental: a Berlinale é tudo isso e muito mais.

O patrimônio mundial da UNESCO "Museumsinsel", no coração de Berlim, é um dos pontos que mais atraem turistas na cidade, mas também os próprios berlinenses.

O patrimônio mundial da UNESCO “Museumsinsel”, a Ilha dos Museus no coração de Berlim, é um dos pontos da cidade que mais atraem não só os turistas, mas também os próprios berlinenses. Aqui você vai encontrar tesouros da arte de valor inestimável, reunidos em um dos mais importantes complexos de museus do mundo: Altes Museum, Neues Museum, Alte Nationalgalerie, Bode-Museum e Pergamonmuseum levam o visitante para uma viagem fascinante através da arte e da cultura, desde a Mesopotâmia, passando pelo Egito, a Grécia, Roma, Império Bizantino, o mundo muçulmano até a Idade Média, a Era Moderna e o romantismo do século XIX.

Exibir mais