• 0
Freiburg: terraço ensolarado e cidade bem humorada.

Freiburg: terraço ensolarado e cidade bem humorada.

Será que os habitantes de Freiburg são tão alegres porque o sol aqui brilha mais do que em outras regiões, ou é o sol que brilha como recompensa porque eles são um povo alegre? Quem poderia saber? O certo é que a vida nesta grande cidade alemã que está situada mais ao sul, é maravilhosa.

Mas Freiburg tem mais a oferecer do que gente simpática: um dos centros históricos mais bonitos da Alemanha, atravessado por típicos "Bächle", estreitos canais de água que acompanham as calçadas. Uma rica cultura e história, muitos cafés e bistrôs aconchegantes, cozinha de Baden, hospitalidade e uma paisagem maravilhosa. E uma atmosfera que é simplesmente um pouco mais leve e descontraída – ou, resumindo em uma só palavra: mediterrânea. A melhor forma de se convencer disso é dar um passeio pelo centro histórico. Ele é dominado pela torre de 116 metros da impressionante catedral, uma das mais belas obras sacras da Alemanha. A praça da catedral, Münsterplatz, é também a maior do centro da cidade. Aqui há uma feira em todos os dias da semana, com exceção de domingo. Chama a atenção especialmente a loja datada de 1532, com sua fachada em vermelho escuro e as pequenas torres com telhados coloridos, assim como a casa Zum Schönen Eck, de 1761, que é hoje o Museu da História da Cidade, e a Alte Wache, antiga casa da guarda e hoje Casa dos Vinhos de Baden – um destino nada mau para uma casa tão bonita. A Augustinerplatz é a segunda praça principal do centro histórico. Com o antigo mosteiro agostiniano e as ruínas das muralhas da cidade, ela é um ponto de encontro popular entre os habitantes de Freiburg, o talvez se deva também à escadaria de pedra no fim da praça: o burburinho alegre por ali lembra muito as escadarias da Piazza di Spagna, em Roma. Em seguida, está a praça Rathausplatz, com a antiga e a nova prefeitura, a igreja gótica Martinskirche e a fonte com o monumento ao monge e alquimista Berthold Schwarz, o qual, dizem, inventou aqui a pólvora.

As praças Oberlinden e Unterlinden, também no centro, são mais tranquilas e bucólicas, ambas com uma grande tília no centro. Um bom conhecedor de Freiburg, porém, cita a Adelhauser-Platz como a praça mais bonita da cidade, pequena, aconchegante e longe das maiores concentrações de pedestres. Essas praças fantásticas são um cenário maravilhoso para dezenas de grandes e pequenas festas e festivais realizados todos os anos no centro histórico de Freiburg. Começando em janeiro, com a Bolsa Internacional de Cultura e o festival "freiburg-grenzenlos-festival" e seguindo sem interrupção até dezembro, quando a Feira de Natal e o Festival de Circo fecham a estação. Durante o ano, as atrações são infinitas: a pitoresca Fastnacht, a noite de carnaval cheia de fantasia em Freiburg, a Maratona de Freiburg, a Semana do Cinema, os cinemas ao ar livre e o festival de cinema no verão, circos e parquinhos, o Kultursommer (Verão Cultural), onde os pátios internos da cidade se abrem, os festivais de música Sea You e Zelt-Musik-Festival, o festival de teatro no pátio da prefeitura, a festa no lago, a festa do vinho entre outras. Ninguém acredita, se não tiver presenciado. Cansado de festas? Então a pedida são os parques e jardins, o Schlossberg, o parque de diversão e zoológico Erlebnispark Mundenhof, o Schauinsland, próximo ao centro da cidade, e a colina Hausberg a 1.284 metros de altura, além dos muitos lagos na cidade e nos arredores. E por falar em natureza: a política ambiental e energética de Freiburg também aposta na sustentabilidade e em energias renováveis. Com muita perseverança e sucesso, a cidade tornou-se um exemplo de reputação internacional como "green city". Mas mesmo para quem não é especialista em energia, visitar essa cidade vale sempre a pena. Até mesmo quando o sol não está brilhando.

Principais atrações das cidades

Os riachos de Freiburg são uma característica inconfundível dessa cidade histórica. Diretamente ao lado das calçadas e ao longo dos becos, o som das águas que correm através de canais é uma espécie de alegre trilha sonora da cidade. Acredita-se que esses canais foram originalmente criados para abastecer a cidade com água para o uso diário e para apagar incêndios, ou para esgotos. Hoje, os córregos criam um clima agradável e tornaram-se um detalhe típico, que agrada tanto aos habitantes quanto aos visitantes de Freiburg. Mas preste bem a atenção quanto estiver visitando a cidade: dizem que quem pisar em um dos córregos não terá vindo a Freiburg pela última vez.

A gigantesca catedral de Freiburg, construída entre os anos de 1.200 e 1.500 e conhecida também pelo nome de "Unserer Lieben Frau", é considerada por historiadores da arte de todo o mundo uma obra-prima da arquitetura gótica e um monumento cultural de enorme importância. A torre de 116 metros, com sua fascinante construção de pedra e argamassa, pode ser vista de longe e é tida por muitos como "a mais bela torre do Cristianismo". No interior da igreja há verdadeiros tesouros da arte medieval: altares, vitrais e esculturas, incluindo várias imagens e esculturas da Virgem Maria, a padroeira da catedral, e também dos padroeiros da cidade, São Jorge, Lamberto e Alexandre.

O centro histórico é dominado pela venerável catedral de Freiburg. Um marco do centro histórico, e uma das características preferidas por todos, é a pitoresca e longa rede córregos estreitos, que atravessam a cidade por vários quilômetros e são alimentados pelas águas do rio Dreisam. Vale a pena admirar também os diversos complexos arquitetônicos e construções que datam da Idade Média, algumas delas reformadas no estilo original e muitas vezes ornamentadas com os brasões das antigas corporações profissionais. Nas calçadas em frente de algumas farmácias, foram incrustados mosaicos representando um Caduceu, o símbolo da medicina, ou um pilão, enquanto na frente de padarias pode-se ver um Brezel, pão típico da região.

Quase tão antigo quanto Freiburg, a primeira menção feita ao Mosteiro de Eremitas Agostiniano data de 1278.

O coro do século XIV é o mais antigo da cidade, além do coro da catedral. No início do século XVIII, a igreja foi ainda ampliada e reformada em estilo barroco, mas o mosteiro foi secularizado já em 1810. Finalmente, em 1923, foram inaugurados os Acervos Municipais no Museu Agostiniano, ou "Augustinermuseum", com esculturas e quadros medievais, arte barroca, pintura do século XIX e, além disso, uma coleção gráfica e as coleções de arte aplicada e cultura do cotidiano.

Exibir mais