Magic Cities de A a Z

Como se soletra alegria? Colônia!

Se existe um gene da alegria e do espírito festeiro, então os habitantes de Colônia devem ter herdado logo um monte deles. Pois Colônia, mais do que uma paixão, é uma espécie de emoção e maneira positiva de ver a vida. E isso inclui o carnaval, a cerveja "Kölsch" e, é claro, a catedral de Colônia.

"Kölle alaaf": quando se houve esse chamado, a cidade entra em transe, uma época que chamam também de "Fastelovend", ou carnaval. Dizer que as pessoas ficam totalmente desvairadas ou fora de si é pouco para descrever o que acontece na cidade da famosa catedral na semana que antecede a quarta-feira de cinzas. O carnaval em Colônia começa oficialmente no dia 11/11 às 11:11 horas e termina, como nos outros lugares, na quarta-feira de cinzas. Mas é só isso que o carnaval de Colônia tem em comum com os outros e, principalmente na última semana, quando o carnaval de rua toma conta da cidade, fica claro que a festa aqui é de outra categoria. Essa alegria especial da cidade é resultado também – e isso durante o ano inteiro – dos bares característicos e aconchegantes nas redondezas das praças Alter Markt e Heumarkt, e das grandes cervejarias espalhadas por todo o centro histórico. Nelas, além das especialidades da região, litros e mais litros da cerveja típica da cidade, a "Kölsch", são servidos sem parar, e o clima costuma ser tão descontraído que parece que o carnaval em Colônia nunca termina. Cada tipo de Kölsch tem um sabor individual – e também, é claro, a sua própria cervejaria. Já os garçons, que aqui são chamados de "Köbes", parecem não se deixar contagiar pela alegria geral, mas isso faz parte: segundo a tradição, um verdadeiro Köbes deve ser sempre um pouco rude. A única coisa que restringe um pouco a alegria dos habitantes de Colônia é o fato de que, descendo o Reno, a uns 30 quilômetros fica Düsseldorf, a cidade vizinha um pouco mais fina, cuja existência é considerada resultado de uma série de situações infelizes, na melhor das hipóteses.

Nos fins de semana, principalmente, os moradores, turistas, jovens e estudantes encontram-se nos inúmeros clubes, discotecas, bares, restaurantes e lounges de bairros como Friesenviertel, Belgisches Viertel, Südstadt, no bairro estudantil Kwartier Latäng, um dos preferidos, e cada vez mais em Ehrenfeld, originalmente uma área industrial. Uma surpresa frequentemente agradável são os preços, em geral bem razoáveis para uma cidade desse porte. Mas uma prova de que o povo de Colônia prefere ver a vida pelo lado positivo, mesmo fora do carnaval, dos bares e das cervejarias, é o seu dinâmico circuito artístico e cultural – o teatro Musical Dome Köln é famoso por suas produções espetaculares e a maior casa de espetáculos de Colônia, com 1.700 lugares – ou o Christopher Street Day, o maior acontecimento de gays e lésbicas na Alemanha. Outro espetáculo é sempre também um jogo do time da cidade, o 1. FC Köln, mesmo que a sua colocação na tabela do campeonato nem sempre corresponda às expectativas dos torcedores.

Já os museus da cidade atendem a todas as expectativas, especialmente o maravilhoso Museum Ludwig, com seus Picassos, Warhols e Lichtensteins. O mesmo se aplica ao Römisch-Germanisches Museum, o museu romano-germânico, com testemunhos de 2.000 anos de história, ao Wallraf-Richartz-Museum, com arte da Idade Média até o século XIX, ou ao Museu do Chocolate - pelo menos, para os gulosos. Quem quiser apenas descansar um pouco, depois de tantas impressões típicas de Colônia, encontra um dos parques mais bonitos da cidade, o Rheinpark, no lado direito do Reno - para os colonianos, o lado "errado" do Reno. Ele pode ser acessado pelo bondinho que atravessa o rio. E quem ainda tiver um pouco de tempo pode aproveitar para ver a vista talvez mais bonita do centro histórico de Colônia e da Catedral, do alto da plataforma de visita do KölnTriangle, a 100 metros de altura. Com bom tempo, talvez se possa ver até Düsseldorf – mas não conte isso para seus amigos de Colônia.

Principais atrações das cidades

Dizem que todo habitante de Colônia fica emocionado quando volta de uma viagem e vê de longe o pico das torres da catedral. A catedral é o símbolo de Colônia, uma das maiores igrejas do mundo e a atração turística número um da Alemanha: mais de seis milhões de pessoas visitam esse patrimônio mundial da UNESCO todos os anos. Com 157,38 metros de altura, a catedral gótica tem a segunda maior torre de igreja da Europa e abriga um santuário com os restos mortais dos Três Reis Magos. Desde 2007, a janela do artista Gerhard Richter tornou-se mais uma atração na catedral. Por apenas 4 euros é possível subir em uma das duas torres, um esforço que é recompensado por uma vista magnífica. Leia mais

Não é a toa que Colônia é a capital do carnaval na Alemanha. Naquela que é conhecida como "a quinta estação do ano", os habitantes de Colônia se divertem para valer. As diferenças perdem a importância e todos brincam e bebem juntos. O ponto alto é o desfile da segunda-feira de carnaval. A estação começa tradicionalmente no dia 11 de novembro, às 11hs11min. A partir da "Weiberfastnacht", a chamada "Quinta-feira das mulheres", a cidade entra em estado de emergência durante dias, a vida pública praticamente para e a cidade passa a ser regida pelo príncipe, o peão e a virgem, os representantes máximos de Colônia nos loucos dias do carnaval

Quem quiser ver – e, quem sabe, comprar – excelentes obras de arte, estará no endereço certo na tradicional ART COLOGNE. Essa feira internacional de arte moderna e contemporânea reflete, com alta categoria, o potencial do mercado de arte na Europa e no exterior. Cerca de 200 galerias internacionais apresentam pinturas, esculturas, instalações, vídeos, fotografias, trabalhos sobre papel, além de edições e múltiplos. Essa feira mundial da arte é completada por formatos de apresentação fora do comum, como o OPEN SPACE, programas para talentos como o Förderkojen, NEW POSITIONS para artistas plásticos ou NEW CONTEMPORARIES para galerias.

Com cerca de 2.000 objetos expostos, o Museu do Chocolate é uma experiência inesquecível para todos os comilões.

Nele, você vai fazer uma viagem através dos 3.000 anos de história da cultura do chocolate. Na ponta do museu, a atração principal: a produção. Distribuída por dois andares, o visitante pode ver ali como as barras de chocolate, as trufas e as figuras ocas são fabricadas. Já na entrada, há uma fonte de chocolate de três metros de altura, pela qual corre o chocolate quente derretido – e o melhor é que todos os visitantes podem mergulhar nela um biscoito para provar o conteúdo. Um museu no qual você não só vê o tema, mas pode também cheirá-lo, prová-lo e senti-lo.

Exibir mais
Eventos

Upheaval and avant garde, form and functionality, rigour and beauty: modernism is a broad term that has shaped an entire century and remains influential today. Hardly any other museum has concentrated as exclusively on this era as Cologne's Ludwig Museum, whose collection starts in the early 20th century and traces developments right to the present day in remarkable breadth and depth.

The history of this fascinating museum, which together with the Philharmonic Hall has occupied an architecturally striking building right next to Cologne Cathedral since 1986, began with Peter and Irene Ludwig's endowment of around 350 works of modern art. Within a few decades, it had grown into the biggest collection of Pop Art outside the USA including Roy Lichtenstein's Maybe and Andy Warhol's Brillo Boxes. In addition to the Pop Art, today it owns the third-largest Picasso collection worldwide and an extensive collection of Russian avant garde from before and after the revolution, as well as important works of German Expressionism and Surrealism. Artistic movements such as Bauhaus and De Stijl, Nouveau Réalisme and Fluxus bring us to the contemporary art which the museum resolutely acquired, the most recent piece never being more than a few months old. German art of the 1970s and 1980s and installations by the younger avant garde therefore also found their way into the Ludwig Museum, completing the survey of the intriguing era of modernism through contemporary works.

Próximas datas:

14.04.2019 - 21.07.2019

04.05.2019 - 11.08.2019

07.06.2019 - 22.09.2019

13.07.2019 - 29.09.2019

21.09.2019 - 19.01.2020

12.10.2019 - 02.02.2020

16.11.2019 - 01.03.2020

Local do evento

Museum Ludwig
Bischofsgartenstraße
50667 Cologne

Todas as informações sobre preços, datas e horários de abertura estão sujeitas a alteração.

Christopher Street Day (CSD) and ColognePride bring colourful parades, extravagant outfits and fever-pitch excitement to the streets – a huge, vibrant festival enjoyed by hundreds of thousands of people but with a very serious message. Every year, when gays, lesbians, bisexuals and transgenders descend on Cologne with their high spirits and good humour, they are demonstrating for homosexuals' rights and for acceptance, tolerance and equality.

It was back in 1972 that the first demonstrations for the rights of lesbians, gays and transgenders took place in this liberal-minded cathedral city in North Rhine-Westphalia. The Christopher Street Day parade has been organised by Kölner Lesben- und Schwulentag e.V. (KLuST) every year since 1991, partly in memory of the events in Christopher Street in New York in 1969, partly focusing on the future and the continuing improvement in the social and political status of sexual minorities. At first, Gay Pride and the street festival only attracted around 3,000 lesbians and gays to the historical old quarter, but in the last few years up to 1.2 million visitors have gathered in Cologne. Now ColognePride spans four main events: the weekend street festival around Alter Markt, Heumarkt and Rathausplatz, the Friday AIDS-Hilfe gala at Hotel Maritim, the Colour Cologne Party in the Lanxess Arena and the grand parade through the city centre featuring up to 120 floats and countless groups. This is a festival for everyone because sexual orientation has no relevance in matters of tolerance, humanity, joy and equal rights.

Próximas datas:

07.07.2019

Local do evento

Unter Käster 1
50667 Köln

Todas as informações sobre preços, datas e horários de abertura estão sujeitas a alteração.

Bonn celebrates with the Rhine in Flames but Cologne hosts the Cologne Lights, one of Europe's most beautiful and most spectacular musical fireworks displays, right in the middle of the Rhine – an atmospheric extravaganza that will light up your eyes and bring joy to your heart.

It's carnivaltime! In Cologne, the biggest city in North Rhine-Westphalia, people like to party as if there's no tomorrow. Cologne Carnival is evidence of this, as are the Cologne Lights, a must-see highpoint in the city's calendar since 2001. With Cologne's eminently quaffable kölsch beer being served from 2012 onwards, the atmosphere is set to ratchet up yet another notch. A glass of kölsch is the perfect afternoon refresher as you soak up the musical entertainment at the Tanzbrunnen. Where better to while away the time before the start of the fireworks, which are ushered in by the breathtaking spectacle of 50 gloriously illuminated ships? These glide along the Rhine before being greeted by a curtain of fire and excited spectators waving hundreds of thousands of sparklers as the flotilla swings round at Deutz Bridge. The main fireworks display, which is then launched from a 240-metre pontoon formation and lasts a full thirty minutes, is a dazzling synthesis of fireworks and music, experienced not only by around a million spectators on both riverbanks but also by some lucky people who have 'box seats' on the ships themselves. To secure one of those coveted on-board tickets, you'll need to book a year in advance. Because Cologne people really do like to party, whether on the Rhine itself or on its riverbanks.

Próximas datas:

13.07.2019

Local do evento

Am Rheinufer
50999 Köln

Todas as informações sobre preços, datas e horários de abertura estão sujeitas a alteração.

Apresentações e eventos

Buscar eventos
(em alemão e inglês)
Outros critérios de busca
Redefinir tudo