• 0

Trier: herança romana e charme francês.

Fundada pelo imperador romano Augusto sob o nome de Augusta Treverorum, no ano de 16 a.C., Trier é conhecida não só como a mais antiga cidade alemã, mas também como importante centro de monumentos arquitetônicos e patrimônios artísticos da Antiguidade. Isso se comprova quando se vê a Porta Nigra, o mais bem conservado portão de cidade da Idade Antiga e hoje símbolo da cidade à beira do rio Mosela.

Na verdade, discute-se ainda qual seria realmente a cidade mais antiga da Alemanha: Augusta Treverorum ou Novaesium – Trier ou Neuss. Mas é certo que os romanos elevaram Trier à categoria de cidade – ao contrário de povoado – já bem cedo. O perfil da cidade foi sendo moldado por muitos imperadores romanos, mais tarde dos bispos, príncipes eleitores e cidadãos. Uma série de monumentos arquitetônicos de importância mundial – muitos incluídos no Patrimônio Mundial da UNESCO desde 1986 – e relíquias de arte foram conservadas e contam as vicissitudes da sua história. A Porta Nigra, o Anfiteatro ou as famosas Termas Imperiais, onde os romanos desfrutavam dos prazeres da vida, as relíquias das Termas de Bárbara, do século II, e a antiga Ponte Romana, da mesma época e usada ainda hoje como importante via de tráfego, são testemunhos do amplo projeto da cidade realizado na Antiguidade Clássica. Mas há também monumentos medievais que impressionam o visitante, como a Catedral de São Pedro, a mais antiga da Alemanha, ou a Igreja de Nossa Senhora, a Liebfrauenkirche, da fase inicial do estilo gótico. E nota-se também que a França não fica muito longe, principalmente quando se trata de bom gosto. Restaurantes excelentes oferecem cardápios de iguarias gastronômicas que dispensam falsa modéstia, mesmo em nível internacional. Grandes vinhos da região Mosel-Saar-Ruwer não poderiam faltar, é claro, e os produtores de vinho da região se apresentam em diversas festas públicas, para alegria dos apreciadores. O ponto alto todos os anos é o período das festas Mosel WeinKulturZeit, que dura um mês. Nessa época, na região de Trier, a oferta de criações de fino paladar é enorme – uma boa razão para reservar um mês inteiro de vida boa para a sua visita.

A praça do mercado medieval, com a residência burguesa Steipe, a Rotes Haus (literalmente "casa vermelha"), a igreja St. Gangolf, a cruz do mercado, a Fonte de São Pedro e a vizinha Judengasse (rua dos Judeus), o mosteiro beneditino de São Matias e as torres fortificadas, como a Frankenturm (torre dos francos) ou a Turm Jerusalem (torre de Jerusalém), são outras estações durante um passeio pela histórica Trier. Essa é também uma boa oportunidade para admirar a impressionante maquete da cidade, no museu Simeonstift, ou peças antigas encontradas em escavações e os pisos em mosaico no museu antropológico Rheinisches Landesmuseum. Além disso, embora o número de seus admiradores tenha se tornado talvez mais restrito, Karl Marx foi um dos maiores pensadores e filósofos alemães e vale sempre a pena visitar a Karl-Marx-Haus, a casa onde nasceu, independentemente de ideologias. Mesmo com tanta história e cultura, Trier é uma cidade absolutamente jovem e dinâmica, com sua escola técnica superior e a universidade, unindo de forma perfeita e agradável seu passado grandioso com a vitalidade do seu presente. Por toda a cidade, lojas, cafés, bares e bistrôs convidam a passear sem pressa. Em instituições culturais e casas noturnas, há uma grande diversidade de oferta cultural, com música, variedades e diversão, principalmente no Tuchfabrik, chamado simplesmente de TUFA, um centro de eventos com excelente reputação em todo o país. Inaugurado já em novembro de 1985, em consequência ainda das festividades dos 2.000 anos da cidade, ele logo se tornou local de trabalho e palco para artistas de todos os gêneros. Até hoje, o local pretende ser um centro cultural e de comunicação para todos. E o melhor disso, é que ele está aberto também para você, que visita a cidade.

Principais atrações das cidades

Primeiro porta da cidade, depois igreja e agora monumento: a "Porta Nigra" é a maior e mais bem conservada porta de cidade romana ao norte dos Alpes, e hoje também o símbolo da cidade. Como em muitos monumentos históricos, esse também prova que os mestres construtores da época nem sempre terminaram o serviço, o que não é de admirar, considerando os recursos técnicos da época. Um centurião, usando sua armadura para paradas, mergulha com o visitante na história da porta, durante a visita guiada "Segredos da Porta Nigra".

A construção romana mais antiga preservada é o imponente anfiteatro, com capacidade para cerca de 20.000 espectadores. Ele é cenário para concertos e, principalmente, para festivais de antiguidade. São encenados aqui temas antigos e alguns artistas famosos, como Sir Peter Ustinov ou Hanna Schygulla concederam a esse vento uma boa reputação. O evento "Brot & Spiele" (pão e jogos) é uma mistura de entretenimento e atletismo, baseada em pesquisas científicas, na qual artistas, malabaristas e gladiadores apresentam lutas romanas segundo os padrões da época conhecidos hoje. Porém, com maiores chances de sobreviver.

A impressionante ruína das Kaiserthermen, as termas imperiais, os quartos soterrados e as paredes das construções anteriores estão entre as mais importantes construções da cidade. Ainda hoje é possível sentir e ver de perto a história nas termas, tanto na superfície como no subterrâneo. As paredes do banho quente, o Caldarium, merecem ter se tornado símbolo da cidade. As termas imperiais Kaiserthermen e Barbarathermen estavam entre os maiores balneários do Império Romano, depois das instalações em Roma. Durante uma visita encenada, sob o título „Traição nas termas", o visitante é levado a uma época quase esquecida.

A fábrica de tecido, conhecida como TUFA, é um centro cultural regional e palco para pequenas encenações, na antiga fábrica de tecidos Tuchfabrik Weber. Na associação Kulturwerkstatt, juntaram-se grupos, bandas, conjuntos e artistas individuais que não tinham antes salas para ensaios, ou exposições e apresentações. A entidade mantenedora, Tufa e.V., é a organização que coordena cerca de 25 associações menores voltadas para todo tipo de atividade cultural, complementando sua programação com eventos próprios, principalmente da área de pequenos artistas. Graças a essa cooperação, os temas dos eventos oferecidos, cursos e workshops são bastante variados.

Exibir mais