• 0
Selecione...
A
  • A
  • B
  • C
  • D
  • E
  • F
  • G
  • H
  • I
  • J
  • K
  • L
  • M
  • N
  • O
  • P
  • Q
  • R
  • T
  • U
  • V
  • W
  • X
  • Y
  • Z
The Hessische Bergstraße wine region, market square in Heppenheim

A região vinícola Hessiche Bergstrasse: pequena, mas preciosa.

Foram provavelmente os romanos que trouxeram as primeiras uvas para a "strata montana": os primeiros registros do cultivo do vinho na região Bergstrasse datam do século VIII, relacionados ao mosteiro imperial de Lorsch. Em 1971, a "Hessische Bergstrasse", uma pequena região da estrada que corta as montanhas de Hessen, tornou-se uma região vinícola independente e é hoje a menor das 13 zonas de cultivo alemãs. A região é composta por duas áreas separadas: ao sul de Darmstadt , as cidadezinhas de Alsbach, Zwingenberg, Bensheim e Heppenheim formam a área de "Starkenburg". A segunda área e a "Odenwälder Weininsel", que fica nas cidades de Gross-Umstadt e Rossdorf e nos arredores.

Particularidades regionais

Área cultivada de vinhedos e casta

Solos

Clima

Vinicultores e cooperativas

Mentalidade

Destaques da região vinícola

Entre a planície do Reno, conhecida como Rheingraben, o Meno, o Neckar e as encostas leste da lendária floresta de Odenwald, um trajeto de aproximadamente 80 km liga a cidade universitária de Darmstadt, ao norte, até a zona vinícola de Wiesloch, ao sul de Heidelberg, formando a rota de férias Bergstrasse. Essa é uma pequena região vinícola, maravilhosa e requintada, cheia de histórias emocionantes. A Alemanha desabrocha na primavera e nós damos a você as dicas de onde ela fica ainda mais bonita.

“Bergstrasse” – esse trecho foi batizado pelos romanos de “Strata Montana” e está localizado numa região privilegiada pelo clima ameno, onde amendoeiras, cerejeiras e pessegueiros em flor criam um cenário branco e rosa na primavera, onde há limoeiros, vinhos finos, sequoias e belas cidadezinhas com casas medievais de enxaimel que conquistam o visitante.

Região vinícola Bergstrasse – vinhos marcantes

O sol brilha nessa região 1600 horas por ano e não é à toa que a população local está sempre de bom humor. Afinal, o sol é garantia de bons vinhos. Uma variedade típica e marcante é o Riesling de localizações famosas com nomes sonoros como Auerbacher Fürstenlager, Bensheimer Streichling ou Heppenheimer Centgericht. As variedades Grauburgunder-, Weissburgunder e Spätburgunder também são dessa região. Originalmente, os vinhos da Bergstrasse são mencionados pela primeira vez no século VIII pelos monges do mosteiro de Lorsch, em sua lista de inventário “Codex Laureshamensis”. Mais tarde, Carlo Magno também desfrutou desses vinhos, já apreciados por tantos grandes homens antes dele.

Vale a pena conhecer

Na Bergstrasse, não muito longe do reino fantástico dos Nibelungen, o caminho inteiro é ladeado por castelos, palácios, residências e mosteiros. Eles dão testemunho da esplendor e riqueza da Idade Média e lembram os tempos dos cavaleiros medievais, senhores feudais e reis. Câmaras Municipais altivas, com fachadas de enxaimel, dominam as praças centrais, pavimentadas com pedras como em tempos passados. Durante séculos, o mosteiro imperial de Lorsch exerceu influência política nessa região. O salão imperial carolíngio é considerado a mais antiga construção da época em território alemão.

Não perca

Cultura e natureza fazem um dueto perfeito na Bergstrasse. Há concertos, exposições e festivais por todo canto em locais históricos. Parques e jardins transformam-se em palcos para estrelas mundiais, sem falar nos festivais do vinho, festas históricas de igrejas e feiras anuais animadas. A “Bergstrasse” também não esquece da gastronomia e a oferta culinária traz uma enorme variedade de produtos frescos, vinhos finos e outras delícias para a mesa.

Dica secreta

Você também pode conhecer a Bergstrasse caminhando por uma região maravilhosa com mais de 2 mil anos de história, mas também muito tecnologia de ponta - afinal, não é preciso fazer o trajeto inteiro de uma vez só. Todos os trechos da rota são puro prazer e sempre vale a pena voltar. Mas quem ainda não a conhece, não pode saber disso.

Existe aqui uma combinação ímpar entre vinho e arte: na trilha educaional "Wein und Stein" em Heppenheim an der Bergstraße, a história da cultura do vinho é contada através de obras de arte. Ao longo de 6,9 quilômetros, você encontra um total de 70 estações sobre o tema vinicultura, provavelmente um record na Alemanha. Mesmo passando dias aqui, ainda não se aprende tudo sobre vinho.

Provavelmente nenhum outro lugar na Alemanha contribuiu tanto para conservar a história da vinicultura como o Kloster Lorsch na hessischen Bergstraße. Inúmeras localidades até Baden, alcançando a Franken e Rheinhessen, podem acompanhar sua história do cultivo do vinho até os primórdios da Idade Média - graças ao Kloster Lorsch, hoje UNESCO-Weltkulturerbe.

Mais de oitenta anos, mais ainda viva e faceira: a festa dos vinicultores de Bensheim, a "Bergsträßer Winzerfest", foi realizada pela primeira vez em 1929 e continua sendo até hoje uma grande atração para todas as gerações, recebendo amantes de vinho não só da Alemanha, mas também do exterior. A maior festa de vinho no sul de Hessen recebe os visitantes com um caráter jovem, leve e moderno - mas conservando o charme da tradição.

Exibir mais