• 0

Ulm: a melhor conexão entre tradição e modernidade.

Dominando a arquitetura da cidade há séculos, a torre da catedral de Ulm parece subir infinitamente ao céu. Destruída em grande parte na guerra, Ulm procurou depois o caminho certo para reconstruir a cidade. A opção foi um acordo perfeito, que permitiu criar uma paisagem bem característica da cidade: restaurada com extremo cuidado por um lado, e extremamente moderna por outro.

É claro que a catedral de Ulm, o "dedo de Deus", com a maior torre de igreja do mundo, é o monumento arquitetônico que domina a cidade. E a praça da catedral, a Münsterplatz, que reúne de forma magistral história com uma arquitetura de vanguarda, é um espaço urbano extremamente impressionante. Mas não há dúvida que Ulm é mais do que a catedral e sua praça. Isso já pode ser percebido a poucos passos de distância, quando o visitante se depara com a bela prefeitura: a parte mais antiga foi erigida em 1370, como casa comercial, foi chamada de prefeitura pela primeira vez em 1419 e por volta de 1520 foi colocado o relógio astronômico ricamente ornamentado. Nas escadarias do prédio, o visitante pode admirar uma réplica do aparelho voador de Albrecht Ludwig Berblinger, o célebre "alfaiate de Ulm". Infelizmente, suas tentativas de voo há cerca de 200 anos não tiveram êxito: no dia decisivo, não havia ventos que ajudassem e o "voo" teve seu fim nas correntezas do Danúbio. Mesmo assim, esse homem industrioso continua a ser respeitado, e uma prova de que os habitantes de Ulm não têm medo de se arriscar em novas dimensões, pelo menos intelectualmente, é o fato de que Albert Einstein nasceu em Ulm. Do ponto de vista do urbanismo, pelo menos, o projeto do "Novo Centro", entre a praça da catedral e a prefeitura, gerou novas dimensões; o antigo e o novo formam aqui um conjunto com uma grande riqueza de contrastes. Em primeiro lugar, merece ser mencionada a Stadthaus do arquiteto nova-iorquino Richard Meier, um marco da moderna arquitetura de reputação internacional, aberta para encontros entre a arte, a cultura e pessoas – e uma cidade notável.

Em seu subsolo há uma interessante exposição permanente sobre a arqueologia e a história da praça da catedral – o que já é um belo contraste com a arquitetura do prédio. Outras obras que apostam em uma linguagem de formas modernas diretamente nas vizinhanças da catedral e da prefeitura são a "Haus der Sinne" (a casa dos sentidos), que abriga uma ótica que tem um café no terceiro andar e uma vista maravilhosa para a catedral, o prédio da caixa econômica, o museu Kunsthalle Weishaupt de Wolfram Wöhr, a pirâmide de vidro da Biblioteca Municipal de Gottfried Böhm e o prédio comercial "Obere Stube", com sua fachada móvel – que deixou especialistas fascinados, mas os habitantes de Ulm divididos. O passeio continua através do Weinhof, um estabelecimento comercial de renome há quase 500 anos, pela antiquíssima casa de pedra, a capela romana Nikolauskapelle, de cerca de 1220, até a "Schwörhaus" do século XVII. Todos os anos, na "segunda-feira do juramento", ou "Schwörmontag", o feriado nacional de Ulm, o prefeito sobe à varanda da prefeitura para renovar seu juramento à constituição municipal, cumprindo um ritual definido já em 1397 na Grande Carta do Juramento. É emocionante também a visita ao Museu de Ulm. O acervo arqueológico tem uma das obras plásticas de um homem-animal mais antigas do mundo, o "homem-leão", com cerca de 30.000 anos, e abriga, entre outras coisas, uma coleção de importantes obras de arte europeias e americanas pós 1945.

Outra coisa que chama a atenção na imagem da cidade são duas torres da antiga fortaleza da cidade: a Gänseturm (torre dos gansos) e a Metzgerturm (torre dos açougueiros), construída em 1345 e mais conhecida como "a torre inclinada de Ulm". Por trás dela existe uma anedota típica de Ulm: segundo ela, a torre recebeu esse nome pelos açougueiros que "completavam" o conteúdo de suas salsichas misturando serragem. Quando os cidadãos ficaram sabendo disso, prenderam os culpados na torre. Dizem que, quando o prefeito entrou ali zangado, os gordos açougueiros, correram com medo para um canto e a torre se inclinou com o peso. A verdade é que a torre é inclinada porque o alicerce está sobre um antigo pântano. Mas você não precisa ter medo de afundar, principalmente no agradável bairro de pescadores, a "sala de estar" medieval da cidade, ou em um dos muitos locais ao ar livre para tomar cerveja, em Ulm e Neu-Ulm, a cidade irmã da Baviera, na outra margem do Danúbio. Mas isso, é claro, fica a seu critério. O importante é que você visite Ulm.

Principais atrações das cidades

A monumental catedral gótica é um marco centenário da cidade e da região, e tornou-se praticamente sinônimo de Ulm na Alemanha e no exterior. Essa importância literalmente superior deve-se principalmente à sua torre, que com seus quase 162 metros ficou conhecida como o "dedo de Deus" e é a maior torre de igreja no mundo. Essa obra de arte arquitetônica compara-se a obras famosas das artes plásticas. O coro do século XV, de Jörg Syrlin, ganhou fama mundial, principalmente os bustos esculpidos são considerados obras-primas da história da arte.

Situado no encontro dos rios Danúbio e Blau (Azul), o bairro Fischerviertel, ocupado principalmente por artesãos na Idade Média, é o mais importante conjunto arquitetônico do centro histórico de Ulm e é nele que bate o coração da cidade. Foi aqui, por volta de 800, que foi instalada a corte real da Francônia, onde foi mencionado pela primeira vez em 854 o palatinado real de Ulm. Com suas ruelas antigas, passagens estreitas, casas de enxaimel, pontes e passarelas, o Fischerviertel transmite bem a imagem da vida medieval. Ao longo das ramificações do rio Blau, há uma série de prédios históricos que contam a história da cidade às margens do Danúbio.

Com suas linhas modernas diretamente ao lado da catedral e da prefeitura, as construções do “Novo Centro” da cidade, entre a praça da catedral, a Münsterplatz, e a prefeitura, marcam propositadamente o contraste, como se vê na maravilhosa Stadthaus, do arquiteto Richard Meier, na “Haus der Sinne” e no prédio do banco Sparkasse, ambos projetados por Stephan Braunfels, no museu de arte Kunsthalle Weishaupt, do arquiteto Wolfram Wöhr, na Biblioteca Municipal, construída como uma “pirâmide de vidro” por Gottfried Böhm, e na construção moderna “Obere Stube”. O resultado desse conceito urbanístico arrojado chama a atenção e é reconhecido internacionalmente pelos especialistas da área.

O Museu da Cultura da Panificação, ou "Museum für Brotkultur", no prédio histórico Ulmer Salzstadel, foi fundado em 1955 como o primeiro museu do pão no mundo, por iniciativa do empresário Willy Eiselen.

Com uma exposição de 14.000 objetos, ele apresenta a história do pão, sua fabricação e sua importância para a humanidade. Os objetos expostos documentam todo o desenvolvimento da tecnologia e dos instrumentos para a fabricação do pão, diferentes modelos de panificação e os diversos aspectos da relação entre a arte e o pão – que vai muito mais além do que a mera expressão alemã "brotlose Kunst", ou "arte que não é ganha-pão".

Exibir mais
Eventos

The International Danube Festival has been taking place every other year since 1998, putting the spotlight on a different topical theme from politics or culture each time. A wide spectrum of cultures and lifestyles join together for the festival in Ulm and Neu-Ulm to celebrate the international Danube partnership and to strengthen relations between the communities connected by the river Danube.

For ten days Ulm city centre and the banks of the Danube buzz with activity, as international artists and guests gather to celebrate the coming-together of all the countries and regions along the Danube from the Swabian Alb all the way to the Black Sea via Bavaria, Austria, Hungary, Serbia, Croatia, Bulgaria and Romania. The diverse nature of the Danube region soon becomes apparent, and is further reinforced by the many events that make this festival so special. Whether through music and dance or literature and theatre, every Danube country puts its best foot forward. This celebration of diversity is extended to the food and drink on offer too. The festival is always firmly focused on 'unity in diversity', the guiding principle of cultural cooperation in Europe in general and the Danube region in particular.

Próximas datas:

03.07.2020 - 12.07.2020

Local do evento

Innenstadt
89077 Ulm

Todas as informações sobre preços, datas e horários de abertura estão sujeitas a alteração.

Apresentações e eventos

Buscar eventos
(em alemão e inglês)
Outros critérios de busca
Redefinir tudo